Dilema Ministerial

Cartas

A identidade só será divulgada com a autorização da pessoa.

Ei pastor Emerson…Graça e Paz.

Vejo que você é um jovem pastor e muito usado por Deus com o dom da sabedoria. Que Deus continue abençoando você meu irmão.

Queria expor minha angústia ministerial contigo (não sei se você já passou por isso).

Estou há 4 anos pastoreando uma igrejinha do interior daqui do estado. Tenho uma família incrível – esposa e 3 filhinhos.
A igreja hoje tem 45 membros. Começamos o trabalho com 18 pessoas. Não recebo ajuda financeira da igreja sede.

O trabalho cresceu mas o resultado não parece expressivo. Os membros antigos parecem estar “cegos” e presos à coisas que não ensinei.

A verdade é que estou ficando depressivo e sentindo vontade de deixar o ministério e arrumar um emprego.

A diretoria da igreja fica me cobrando resultados melhores e sinto-me pressionado. O pastor presidente disse que viria aqui conversar comigo, mas não sei o que fazer.

Resumidamente é isso..se tiver um tempinho, me ajude a procurar uma direção vinda do Senhor.

Beijo no coração,

Pr. Humberto.

 

Resposta:

Ei amigo, QUE DILEMA HEIN?!

Que estas “pedras mastigadas” – conforme o profeta Jeremias – se transformem em pães na sua vida!

Aqui vai apenas uma opinião sincera de um companheiro de ministério.

Creio que todo pastor deveria “não ser pesado a ninguém e ter suas “próprias tendas a fazer”… sabe porque?

1 – Essa dependência total da igreja – financeiramente falando – pode te levar à cauterização de consciência. É isso que está acontecendo: A igreja não quer “abrir a visão” e você fica preso à ela. Afinal, é a “igreja” quem te sustenta.

Ou você faz o que a “diretoria” propõe, ou corre o risco de perder o “emprego”. E isso pode “entenebrecer” tua visão e tirar tua liberdade de buscar uma nova revelação de Deus.

2 – O que escrevi acima, depende da forma eclesiática de sua igreja: – É o Pastor quem tem a última palavra, ou é a diretoria?

Se for o pastor, siga aquilo que Deus te revelou meu amigo.
Mas cuidado para não cair no erro de achar que ovelha é busine$$, e que a igreja é SUA EMPRESA.

Conheço bons “administradores de igreja”, mas que de pastores, não possuem nada! Lutam, literalmente, com unhas e dentes para manter o povo em “seu apri$co” – não importa o meio usado.

Afinal, se perder ovelha, diminui a receita da igreja, e consequentemente, seu EMPREGO – e na maioria das vezes, os dos familiares empregados lá também – fica em risco.

Sei do que estou falando, amigo!

A falta de ajuda de custo da igreja sede, externa a preocupação dela em relação a você. Aproveite a ida de seu pastor presidente para expor isso à ele.

Se te servir como consolo, fui “pastor de jovens” de uma determinada igreja durante quase um ano e meio, onde o Pastor-presidente, nunca foi tomar um café comigo na minha casa.

Então amigo, não se impressione!! Acho que deve ser uma “virose pastoral temporal”.

Se você puder ter um emprego, e, ainda assim, pastorear a igreja, pense nisso.
Creio que você conseguirá assimilar ambas as tarefas, afinal, sua igreja é pequena.

Essa independência financeira lhe fará muito bem. Vai permitir à você enfrentar essas muralhas da vida como “homem” sem aquele sentimento de ingenuidade pastoral, entende?

Ore para que o Senhor renove tuas forças. Ande em fé, e não se impressione com “resultados estatísticos”. Na maioria das vezes, eles não significam NADA!

Passando por aqui, venha bater um papo!

Forte abraço,

Pr. Emerson Fregona



Participe conosco

Ter . 19H30

Participe da Escola Bíblica conosco

Dom . 18H30

Culto. Venha e convide um amigo

Qui . 18H30

Bate papo - Mulheres / Homens