Falar em Línguas

Cartas

A identidade só será divulgada com a autorização da pessoa.

Paz Pr. Emerson

Eu estava assistindo uma pregação de um determinado pastor que falava sobre a importancia de falarmos em linguas estranhas…ate ai tudo bem.

Mas na pregação, o preletor falava que podemos falar em linguas a todo momento, dentro do onibus, andando na rua, em qualquer lugar mesmo que tivermos pensando em outras coisas.

Gostaria de saber sua opinião sobre esse assunto, pois fiquei muito confusa com isso.

Deus continue abençoando seu ministério.

 

Resposta:

Olá Jéssica,

Que o verdadeiro Amor (em qualquer língua), seja derramado em seu coração para sempre.

Eis aí um ponto de muita confusão entre os “pentecostais”: Os Dons e suas manifestações.
Vou tentar em poucas palavras – MESMO SABENDO QUE É IMPOSSÍVEL – discorrer sobre o “dom de línguas”.

Minha opinião é com base naquilo que o N.T ensina. Sem acrescentar ou diminuir nada. Por favor, leia I Cor. 12,13 e 14.

As línguas são para edificação de quem fala (I Cor 14) e quando interpretadas, para quem ouve.

Quando desejo edificar outros, falo em português mesmo..e BEM CLARO!

As línguas edificam o próprio individuo. Porém, a PROFECIA (ensino, exortação e pregação) edificam a igreja.

Paulo afirma em I Cor 14:19: “Todavia, eu prefiro falar cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida”.

Entretanto, é bom saber algumas coisas:

A primeira, é um dom sobrenatural. Fala-se em línguas que não se aprendeu e que não se conhece.
Nesse caso, quem fala, não SABE a língua (idioma), mas alguém que a saiba, entende.
Esse tipo de manifestação acontece como SINAL para quem ouve.

Particularmente, tive uma experiência desse tipo em 1998 no Alto da Bela Vista (lugar onde sempre íamos orar). Estava num cantinho orando ajoelhado e comecei a falar num idioma que não conhecia (Espanhol). Para minha surpresa, ao acabar de orar, havia um senhor ao meu lado que “caiu com o rosto em terra dando glória a Deus”, dizendo: “obrigado filho..muito obrigado pela esta palavra”.

Ele havia entendido tudo o que eu dissera.

Por isso é que Paulo recomenda que tais línguas sejam faladas com recato e total discrição, pois edificam somente aquele que a fala e a ninguém mais. O objetivo das línguas é edificar a quem fala, pois não havendo interpretação, ninguém mais é edificado; da mesma forma acontecerá se eu começar a dizer: “Pípípí dádádá glugluglú“.

Sendo assim, esse festival de línguas que a gente vê nas igrejas, em geral, são uma violação do próprio ensino apostólico.

A interpretação da língua acontece de modo raro, e não é essa maluquice que a gente vê por aí (essa repetição de “Assim diz o Senhor” seguido de um monte de promessas de VIAGEM, BONS NEGÓCIOS, PROSPERIDADE, BANDEJA DE PRATA OU LENÇOL CHEIO DE DONS.

Espero não estar causando qualquer decepção dentro de você.
Mas não há outro evangelho a ser pregado nem outra verdade a ser dita.

Posso lhe afirmar: As línguas existem mesmo e são vigentes hoje, assim como serão sempre…até que desapareçam com a manifestação do que é PERFEITO, conforme I Coríntios 13:2.

Boa parte das línguas que eu ouço nas igrejas são apenas um fenômeno de “repetição de sons”, e isto porque dependendo da denominação, as “línguas” se repetirão como se fosse um curso no Yagizi. Por isso é que vemos, normalmente, os membros da mesma igreja ou do mesmo grupo de oração, quase sempre falarem em línguas idênticas ou parecidas.

Tem um video no youtube onde um padre ensina a “falar em línguas”. Dá uma pesquisada. É de cair o queixo.

E não se esqueça: assim como os fariseus oravam nas praças, em público, para mostrar sua superioridade espiritual, assim também, no meio cristão, muita gente fala em línguas, em público, contrariando I Cor. 14, pela mesma razão: mostrar uma pseudo-espiritualidade para obter status de “homem/mulher de Deus”.

O “falar em línguas” não é o sinal e evidencia do batismo no Espírito Santo, afirmo.

Filha… a vida de algúem cheia do Espírito Santo, sempre culmina no Andar no Espírito. E o andar no Espírito acontece, conforme Gálatas e Romanos, como caminho de fé, esperança e amor.

Há muita gente batizada com o “espírito da língua”. São mestres em difamar, caluniar e mentir. Tenha muito cuidado!
Não há pessoas cheias do Espírito que também não sejam cheias de amor e misericórdia (por seus frutos o conhecereis).

No ônibus, na escola, em casa, na igreja, andando na rua, mostre a evidência maior do Espírito Santo na vida de alguém: “POIS O FRUTO DO ESPÍRITO É O AMOR!” Gl 5:22.

Então, permanecem a fé, a esperança e o amor. Estas três…mas a maior delas é o AMOR (I Cor.13).

Ps: Você percebeu que os dons nem são citados??? rsrrsrs..

Fica aí o parecer de alguém que deseja seu crescimento uniforme: NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO…sem miragens, teatros ou manipulações.

Forte abraço,

Emerson Fregona.



Participe conosco

Ter . 19H30

Participe da Escola Bíblica conosco

Dom . 18H30

Culto. Venha e convide um amigo

Qui . 18H30

Bate papo - Mulheres / Homens