Trai e me arrependi

Cartas

A identidade só será divulgada com a autorização da pessoa.

Estou em um impasse na minha vida e gostaria de um aconselhamento. Sou casada há 7 anos, com mais 7 anos entre namoro e noivado. Total de 14 anos juntos.

Tenho um casamento muito feliz, sem nenhum problema de nenhuma ordem. Meu marido é uma benção completa e eu também busco ser a esposa que ele merece (pois ele merece!).

No entanto, há 2 anos atrás eu me permiti envolver com outro homem. Uma pessoa do meu trabalho. Infelizmente eu cai e tive uma única relação sexual com essa pessoa. Imediatamente após este pecado eu me arrependi. Posso dizer que se há um pecado de que realmente eu tenha me arrependido na minha vida foi esse. Principalmente n sentido de que tomei nojo de mim mesma por ter escolhido um caminho tão errado.

Logo depois do acontecido, conversei com o tal colega, expliquei para ele que o que eu havia feito não estava certo, pedi para que ele me perdoasse por eu ter cedido, disse que aquilo era contra tudo que eu acreditava e que nunca mais aconteceria de novo. Ele sabia que eu era cristã e por isso quis deixar bem claro que aquela atitude foi um erro e que ele não considerasse aquele comportamento como um comportamento cristão. Nunca mais tivemos qualquer tipo de relacionamento. Alguns meses depois ele pediu demissão e eu nunca mais o vi.

Como eu disse anteriormente, eu sei que tive um arrependimento sincero e que essa conduta nunca mais fará parte da minha vida, digo isso com toda certeza!
Contudo, ao longo desses dois anos eu tenho dúvidas se devo contar ao meu marido. Há momentos em que eu penso que não e há momentos em que eu penso que sim, que devo contar. Passo longos momentos tranquila, claro que sem esquecer o meu erro, mas tranquila em relação a “certeza” de que não devo contar. Mas há outros momentos, como o que eu estou passando agora, em que fico muito angustiada.

Minha preocupação é causar mal ao meu marido, contando uma coisa de que eu tenho certeza estar perdoada por Deus, e que eu tenho certeza de ter abandonado e que talvez ele não precisasse saber. E que se não fosse da minha boca, ele nunca saberia. Tenho medo de causar a ele uma dor, uma decepção de que ele nunca se recupere. Ele é um ótimo marido e não merece o que eu fiz. Fico pensando na humilhação que seria para ele e não gostaria mesmo que ele passasse por isso.

Sei que eu devia ter pensado antes, mas deixei me dominar pelo pecado. A culpa foi exclusiva minha, não havia e não há nenhum problema em meu casamento que me levasse a qualquer desculpa.

É claro que também tenho medo de não ser perdoada por ele, dele pedir o divórcio, da vergonha, da humilhação… infelizmente dentro das nossas igrejas, onde deveria haver um ambiente só de amor há também um ambiente de condenação e fofoca, e isso nos faria muito mal.

Não tenho certeza se essa dúvida em contar é o espírito santo me instruindo ou se é o diabo me acusando. Eu passo tempos sem esses questionamentos, consigo me relacionar com Deus, mas de tempos em tempos voltam as dúvidas.

Além da dúvida, em alguns momentos não me acho digna para servir a Deus. Fico preocupada se o fato de eu não ter contado ao meu marido me desqualifica de alguma forma diante de Deus. Minha igreja é em células e eu tenho vontade de servir, sendo líder de um grupo ou participar do coral mas tenho temor de,  por não ter contado, estar amaldiçoando meus irmãos. Ou de em algum momento o diabo usar isso para me acusar. Além disso, de uns dias para cá tenho dúvidas se sou digna de participar da ceia por conta da maldição que posso causar a minha igreja.

Quero fazer o que é certo, por que eu amo o meu Deus e o meu marido. Quero que tenhamos uma vida próspera em amor e dedicação a Deus.
Por favor, responda-me! Esses questionamentos tem me causado muita angústia. Congrego em uma igreja muito grande, com muitos membros, pastores, líderes e por
isso não tenho intimidade e abertura para conversar com as minhas lideranças. Se você puder me dar um conselho, uma direção, eu agradeceria muito!
Obrigada! Deus os abençoe!

Resposta:

Filha, acalme-se.

A Bíblia diz que SEM AMOR, NADA VALE. Então, a receita para se evitar uma catástrofe matrimonial chama-se: AMOR.
Nós, seres humanos, nos equivocamos. Mas o AMOR, NÃO – ELE NUNCA FALHA!

Eu não sei o que te levou a isso após 12 anos juntos. Só sei que algo aconteceu – e você sabe o que foi. Sendo assim, minha pergunta inicial é: Isso já foi reparado? Essa brecha já foi fechada?

O desejo só aparece, quando ele já existe. Se não existe, jamais virá. O pecado jaz a sua porta. Cabe a você dominá-lo. É assim desde o princípio.

Quando a gente cresce, acaba descobrindo que “a verdade liberta”. Mas nunca sem muita dor. Dói crescer! Dói se enxergar!

Entendo sua dor, pois ela vem da culpa, do medo e do sentimento horrivel que uma traição produz. É uma sensação de lixo existencial que exala de longe – e parece que todos os que estao a volta, percebem.

Contudo, somente com o coração na Graça de Deus é que se pode iniciar o caminho da cura para sua alma.
Deus nunca desprezou alguém que o buscasse com um coração contrito e quebrantado.

Eu levo em consideração a sinceridade com que me escrevem. Pelas suas palavras, percebo arrependimento, confissão e abandono.

Sendo assim, lhe digo:

– Minha resposta é apenas minha resposta e não deve ser seu modelo de vida. É apenas no que acredito e vejo acontecer quase todos os dias.
Sua carta é só mais uma das centenas que leio e respondo no anonimato para muitos outros.

– Você abandonou mesmo esse pecado? Você deixou isso de lado, de verdade? Você confessou a Deus e sente dEle, perdão genuíno? Você ama mesmo esse homem?
Aprendeu com esse erro?

Se sua resposta for SIM a todas as perguntas, então, te digo que:

* A Bíblia também afirma que, se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.
* A Bíblia também diz que, aquele que CONFESSA e DEIXA alcançará misericórdia.
* Você tem um Advogado perante o Pai. Jesus Cristo o Justo!

Essa afirmações não são brinquedos para gente cínica que todo dia cai no mesmo erro e abusa da Graça de Deus.
Mas é um refúgio para aquele que cai, e decide-se por-se de pé com sinceridade.

Sinceramente, contar para seu o seu marido vai depender do grau de maturidade do relacionamento de vocês. Tem gente que gostaria – e faria questão de saber.
Mas há outros que prefeririam morrer sem ficar sabendo. Isso vai depender dele, de você, e da sua consciência perante Deus e você mesma.

Não creio que você deva fazer um mal maior. Já foi deixado. Houve arrependimento. Já se acertou com Deus…caminhe livre e perdoada!
Não mexa nesse defunto..e nem resgate esse lixo.

– Se possível, não conte isso para ninguém, e principalmente, para aqueles que se dizendo “irmão” for devasso, mentiroso(a) e aproveitador. Pode ser que
escrevam na sua testa “Adúltera – seja anátema para todo o sempre”.

– Se seu pastor for homem mesmo – e não um moleque de terno e gravata— fale com ele. Mas apenas se você desejar e confiar nele de verdade.
Não é uma regra. Conte apenas se ele não for um juiz vestido de pastor. Não se sinta coagida a isso de MANEIRA NENHUMA.

A Bíblia diz para orarmos uns pelos outros e confessarmos nossas culpas uns aos outros para que possamos ser sarados. A oração de um justo (que pode ser qualquer pessoa temente a Deus) pode muito em seus efeitos.

Só um detalhe: CUIDADO! MUITO CUIDADO (se você contou isso a alguém).

Atualmente, a “igreja” não sabe ser Corpo. Vejo isso em boa parte dos lugares. E Paulo fala uma coisa interessante: “No Corpo, os membros que nos parecem ser menos “decorosos”, a esses cobrimos com maior honra e cuidado”. Esse deveria ser o papel da “igreja”..mas não, é.

EXCLUA!!!!! Essa é a ordem dada pelos “donos da igreja”. Então, tenha cuidado. Guarde o seu coração desse tipo de gente.
O que Deus fala é: “Filha minha..dá-me o teu coração“. Entregue seu coração a ELE.

Não se sinta sequestrada pelo passado. Celebre o amor, a graça, o perdão e o arrependimento que gera novidade de vida. Olhe para a CRUZ. Ela nos remete ao sofrimento que JESUS sofreu ao nosso favor.

Sabe quem foi Davi? Um adúltero.
Sabe quem foi Paulo? Um assasino de cristãos.
Sabe quem foi Noé? Um bêbado.
Sabe quem foi Maria Madalena? Uma prostituta.

Quer que eu diga mais alguma coisa? ESSE É O ESCÂNDALO DA CRUZ.
Jesus gosta de gente assim. Deus só usa “gente ruim” para que nenhuma carne se glorie diante dele e se ache “digna” e merecedora de alguma coisa. Somos pó!

Erga sua cabeça. Levante-se.

Finalizando…
Sobre “tomar a ceia”… Você não leu o resto dos versículos do capítulo 11? “EXAMINE-SE POIS O HOMEM A SI MESMO!“.
A única pessoa que pode dizer se você pode cear ou nao,  É VOCÊ MESMA!

A condenação é para quem NAO DISCERNE O CORPO DE CRISTO! E quem é o corpo? A RESPOSTA É MUITO SIMPLES…(..”por isso há entre vós muitos fracos e doentes…“).
EU PRECISO DISCERNIR A NECESSIDADE DO OUTRO!!!! É disso que o versículo trata. Basta ler com atenção.

Ceie, alegra-te, comemore, faça esse memorial até que Ele venha! Não se prive disso.

Maldição? JESUS SE FEZ MALDIÇÃO POR NÓS LÁ NO MADEIRO! Você precisa se libertar desse espírito religioso! URGENTEMENTE.

Quer fazer o certo? Então faça: AME A DEUS ACIMA DE TODAS AS COISAS E AO TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMA!

E por fim..O que mais posso dizer para você??!?!
A mesma frase que um dia ouví de Jesus: “Vá e não peques mais!
Pr. Emerson Fregona.



Participe conosco

Ter . 19H30

Participe da Escola Bíblica conosco

Dom . 18H30

Culto. Venha e convide um amigo

Qui . 18H30

Bate papo - Mulheres / Homens